sexta-feira, 23 de março de 2012

RES - Regime de Exploração Simplificada

Tem-se falado nos últimos dias, da intenção da Refer de passar o troço Régua - Pocinho para R.E.S. - Regime de Exploração Simplificada.

O R.E.S. é o regime de exploração a que está submetida uma linha ou troço de linha de via única, onde é designado um Chefe de linha (agente instalado numa das estações da linha que dirige e autoriza todo o serviço da circulação dos comboios nessa linha) e um Chefe de comboio que, seguindo nele, recebe do Chefe de linha quer pelo telefone, quer pessoalmente, todas as ordens e directrizes relativas ao serviço da circulação e ao serviço do seu comboio. (in Lexico Refer)

Actualmente, a exploração dos comboios na Linha do Douro é feita através do regime de cantonamento telefónico. Este sistema baseia-se na troca de despachos telefónicos entre uma dependência e as suas colaterais com interferência na circulação, pedindo e autorizando a ocupação do único cantão existente num dado sentido entre as referidas dependências. (in Lexico Refer)

Por exemplo, o chefe da estação da Régua tem um comboio para enviar para o Pocinho. Pega no telefone e liga ao chefe da estação imediatamente a seguir (por exemplo Tua). O chefe da estação do Tua concede o avanço e caso não exista mais nenhuma circulação prevista repete este procedimento com o chefe da estação imediatamente a seguir (por exemplo Pocinho).

Enquanto falam ao telefone, os dois chefes fazem o registo escrito destes procedimentos, que servirá para apurar responsabilidades se alguma coisa de errado se passar. Só depois de o avanço para a estação seguinte estar concedido é que o ferroviário da Régua pode apitar para o comboio seguir.

Embora arcaico e totalmente dependente de meios humanos, o cantonamento telefónico é um sistema seguro e é também usado nas linhas do Minho, Oeste e parte da linha do Algarve. Mas isso implica que haja nas estações agentes de circulação e manobradores que accionem as agulhas quando há cruzamentos de comboios.


Em termos técnicos, o R.E.S. implica também o talonamento das agulhas (ou aparelhos de mudança de via - A.M.V. - ver agulha talonável in Lexico Refer), de forma a que não seja necessário um manobrador da Refer sempre que exista um cruzamento.

Nos últimos tempos de funcionamento, o Ramal da Lousã esteve em R.E.S. sendo o avanço pedido pelo revisor do comboio. Neste caso, os avanços eram pedidos em Ceira, Miranda e Lousã.

As imagens que se seguem ilustram as agulhas talonáveis existentes na estação do Crato. Actualmente este tipo de AMV's pode também ser encontrado na Linha do Algarve, entre Tunes e Lagos.

comentário do autor: "Símbolo Indicativo da Posição da Agulha Talonável - Crato"

comentário do autor: "Agulha Talonável - Crato"

comentário do autor: "Agulha Talonável - Crato"









Sem comentários:

Publicar um comentário