sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Estado d'Alma V

Aos nove dias do mês de Novembro do ano da graça de dois mil e doze, publica-se este artigo, carinhosamente intitulado "Estado D'Alma". 
Como já referi por diversas vezes, este blog é um espaço de opinião e informação. Não faço parte de nenhum partido político nem sou ferroviário. Pretendo apenas transmitir alguma informação e expressar a minha opinião sobre o actual estado da nação, com especial enfoque no transporte ferroviário.
Sendo assim é normal que manifeste aqui o meu desagrado pelas sucessivas greves orquestradas pelo SMAQ, com o intuito de, embora de forma indirecta, afastar ainda mais os passageiros da ferrovia.
Não questiono de forma alguma o direito à greve nem tampouco a legitimidade da mesma. O que questiono é o modelo de luta adoptado pelo SMAQ e pelos demais sindicatos afectos à CGTP, que é como todos sabem, o braço sindical do PCP - Partido Comunista Português. 
Basta olhar para o que se passa na Grécia, para perceber que ainda temos um longo caminho a percorrer. Os Gregos, com "greves gerais de dois dias" nada conseguem, muito pelo contrário, apenas agravam ainda mais a situação em que o país se encontra.
Em Portugal, no sector dos transportes, é habitual fazer-se greve por "tudo e por nada". Pela informação que fui recolhendo em diversas fontes,  o que está em causa na actual greve dos maquinistas é, entre outras coisas, a remuneração em dia feriado. "Antigamente" o trabalho em dia feriado era acrescido de 100% e em alguns casos um pouco mais. No entanto e como consequência dos desvarios económicos dos últimos 38 anos, o país está numa situação de falência
Significa isto que a nossa divida é superior à riqueza que conseguimos produzir, havendo portanto necessidade de pedirmos dinheiro emprestado. Este dinheiro é-nos emprestado para podermos pagar dívidas do passado. Recordam-se dos 10 estádios do Euro-2004? Pois é ... e das inúmeras auto-estradas e hospitais construídos com recurso a empréstimos bancários, tão carinhosamente apelidados de "percerias publico-privadas"? Pois é ... gastámos muito mais do que aquilo que podíamos pagar e agora não somos capazes de responsabilizar quem nos conduziu a este estado. 

Barreiro, 08/11/2012
 foto de Carlos Borralho publicada no grupo ferroviários@facebook por Diamantino Patarata Cabrita
"As 1800 a serem rebocadas par dentro das Oficinas encontram-se nas linhas da secção dos bogies."


Mas nem tudo são más notícias .... fontes geralmente bem informadas garantem que algumas das locomotivas da série 1800 que estavam no Barreiro para abate, foram adquiridas por um grupo de entusiastas ingleses. Salvaram-se assim, algumas unidades desta série e existe uma forte possibilidade de entre todas se colocar uma em condições de circulação.

Boas notícias vêm do Museu Nacional Ferroviário (MNF) - a automotora Nohab e a locomotiva diesel 1225 foram deslocadas do Barreiro para o Entroncamento, ficando ao cuidado desta instituição. O seu destino não é conhecido, mas enquanto não forem cortadas há sempre uma pequena esperança de as ver recuperadas e em condições de circulação.

A imagem anterior, que ilustra a primeira etapa da viagem foi retirada da revista TrainSpotter que se publica em formato electrónico. 

E esta é mais outra boa notícia: a revista TrainSpotter projecto integrado no fórum Portugal Ferroviário é já uma referência para os entusiastas e profissionais da ferrovia. Esta publicação mostra-nos todos os meses artigos de grande qualidade, quer a nível de informação técnica, quer a nível de imagens. Atrevo-me até a considerar que a revista não deixa ninguém indiferente, gerando sentimentos tão diversos como amor, inveja e ódio.

Não quero terminar este pequeno desabafo sem referir que o blog continua a ter cerca de 3000 visitas por mês. Mais uma vez agradeço a todos os leitores pela preferência que dão a este espaço. Agradeço também as palavras de incentivo e as críticas construtivas que vão deixando na caixa de comentários. Como compreendem, reservo-me o direito de publicar ou não o que é escrito.

Nota 1: este blog não representa qualquer organização, empresa ou tendência ferroviária. É apenas e só um espaço de opinião.
Nota 2: as fotos que ilustram este artigo estão identificadas com o nome do autor e quando aplicável, com a referência onde foram encontradas.

Sem comentários:

Publicar um comentário