terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Estado d'Alma VI

.... eis-nos chegados ao final do ano da graça de dois mil e doze. Este ano, fertil em acontecimentos relevantes para a ferrovia, chega ao fim com as já habituais greves na CP, mas também com uma circulação muito especial - ensaio de linha da composição presidencial, liderada pela locomotiva diesel 1424.

foto de Nelso Silva - ferroviários@facebook


Numa altura em que a crise da dívida do estado domina a nossa débil economia, é normal que o tráfego ferroviário de mercadorias esteja a decair. É também normal que a CP Carga deixe cair alguns serviços menos rentáveis (leia-se altamente deficitários) e que o operador privado Takargo aproveite para reforçar a sua posição, conquistando novos mercados.

Para os entusiastas e retratistas, o ano de 2012 foi bastante interessante, tendo o seu ponto alto no passeio do PTG.
Este grupo de entusiastas viajou pela nossa rede ferroviária, prporcionando as já habituais romarias atrás do comboio.

Em 2012, a Linha do Oeste, resistiu à intenção de encerramento, apesar de ter perdido muitos passageiros para a rodovia, principalmente porque estes, se fartaram de esperar por comboios suprimidos devido à greve patrocinada pelo SMAQ ou devido a má gestão de recursos da CP.

No Douro, o comboio histórico não foi traccionado pela locomotiva a vapor, porque muito inteligentemente, o SMAQ achou por bem que a greve se deveria extender à condução de material a vapor. Os entusiastas rejubilaram com a oportunidade de obter fotos diferentes, mas os passageiros do histórico ficaram obviamente desapontados por não viajar a vapor.

Mas nem tudo foram más notícias para o transporte público - o eléctrico de Sintra voltou a circular e a rede do Metropolitano de Lisboa chegou ao Aeroporto.

O mês de Dezembro é habitualmente aproveitado para os almoços de Natal das associações e grupos de entusiastas. Num país demasiado pequeno, perguntam alguns, porque razão não se conjugam esforços das várias associações e grupos de entusiastas para a preservação da memória ferroviária num único projecto. A resposta é simples e óbvia - onde há duas cabeças há duas opiniões e mais cedo ou mais tarde há discussão e divisão.
Não me vou alongar muito com este tema, porque espero dedicar um artigo a este assunto, nomeadamente à proliferação de fóruns de entusiastas ..... existe o Transportes XXI, o LusoCarris, o Portugal Ferroviário, o comboios.org e mais uns tantos cujo nome não me recordo ....

Termino, desejando a todos os leitores e amigos a continuação de Boas Festas e que o Ano Novo vos traga tudo o que mais desejam.

Nota 1: este blog não representa qualquer organização, empresa ou tendência ferroviária. É apenas e só um espaço de opinião.
Nota 2: as fotos que ilustram este artigo estão identificadas com o nome do autor e quando aplicável, com a referência onde foram encontradas.




Sem comentários:

Publicar um comentário