domingo, 6 de julho de 2014

Ramal do Montijo - um pouco de história

O Ramal do Montijo, que originalmente se chamava por “Aldeagalega” (pronúncia alentejana) ou “Ramal de Aldeia Galega”, foi um troço ferroviário, em bitola ibérica, que ligava o Pinhal Novo ao Montijo; tendo sido inaugurado no ano de 1908 e encerrado em 1989.

A via, partindo de Pinhal Novo, tomava a direção noroeste, contornando o limite urbanizado e, depois de descrever uma acentuada curva para norte e nordeste, seguia paralelamente à Rua Primeiro de Maio (nome atual) e à Estrada Nacional 252 (EN252), fletindo para noroeste já para lá da Jardia. Entrava na atual Montijo seguindo em paralelo a Rua Vasco da Gama, virando depois para oeste até atingir a estação ferroviária.

O ramal foi utilizado por composições de mercadorias para transporte de gado – essencialmente suíno – até à Estação do Montijo. A partir de 30 de Maio de 1933, a então “Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses” passou a transportar os passageiros por autocarros, ficando assim apenas duas composições diárias de mercadorias.

Os primeiros planos para a construção do Caminho de Ferro do Sul – que faria a ligação entre a margem sul do Tejo e o Alentejo – previam que o terminal ferroviário, com ligação fluvial a Lisboa, seria instalado na localidade de Aldeia Galega do Ribatejo (a cidade do Montijo dos nossos dias); porém, e dadas as dificuldades técnicas criadas na construção do cais fluvial, o início da ligação ferroviária ao Alentejo foi mudado para a cidade do Barreiro, cujas condições seriam mais favoráveis.

Este ramal ferroviário foi construído num regime especial, sem recorrer ao Fundo Especial de Caminhos de Ferro (FECF), órgão governamental que tinha como finalidade o financiamento de obras ferroviárias. Em vez disto, foi a própria autarquia (Câmara Municipal de Aldeia Galega) que solicitou um empréstimo para o projeto, sendo autorizada a tal por decreto de 07 de Junho de 1907. O montante em causa foi de 83.000$000 (moeda oficial da altura), com juro de 7,5%, destinado unicamente à construção, tendo a edilidade acordado em pagar a diferença entre o rendimento bruto anual do ramal – incluindo impostos – e o valor dos juros e respetivas amortizações.

A inauguração oficial deste segmento ferroviária aconteceu a 04 de Outubro de 1908, obtendo logo de início muito movimento, pelo que a autarquia pôde pagar na totalidade o empréstimo que foi distratado por um decreto de 01 de Maio de 1911 (ai…como isto me faz lembrar os tempos em que vivo…)

A circulação no ramal foi suspensa no ano de 1989. 
 
As imagens que se seguem ilustram as estações e apeadeiros deste ramal (ou o que sobrou dele).
 
- Estação do Montijo
 
 
comentário do autor: "Estação do Montijo, 2009.05.05"


 
 
- Apeadeiro de Sarilhos
comentário do autor: "Paragem de Sarilhos, 2006.03.11"


 
 
- Apeadeiro da Jardia
comentário do autor "Paragem de Jardia, 2006.03.11"


Nota 1: este blog não representa qualquer organização, empresa ou tendência ferroviária. É apenas e só um espaço de opinião.
Nota 2: as fotos que ilustram este artigo estão identificadas com o nome do autor e quando aplicável, com a referência onde foram encontradas.

Sem comentários:

Publicar um comentário