sábado, 16 de novembro de 2013

Comboios urbanos de Lisboa - falta de material circulante




Fontes geralmente mal informadas confidenciaram-me que a CP Lisboa não tem verba disponível para garantir a manutenção do material circulante das linhas de Sintra e Azambuja.
Este cenário não é novo, mas assume contornos escandalosos numa altura em que o transporte público devia ser capaz de cativar novos clientes, melhorando e diversificando a oferta.
Sendo assim, a partir da próxima 2ª feira, teremos UTE's da série 2240 a realizar comboios urbanos entre Castanheira do Ribatejo e Lisboa Santa Apolónia, UQE's da série 3500 entre Sintra e Rossio e UQE's 2300/2400 nos restantes serviços.
No eixo Sintra-Rossio, isto significa uma redução de oferta, visto que a capacidade de uma unidade 3500 é inferior à de duas unidades da série 2300/2400. No eixo Azambuja-Alcântara o cenário é idêntico, pois as 3500 são substituídas pelas 2300/2400. Pior ficam os passageiros do eixo Castanheira-Santa Apolónia, onde a oferta de lugares é drasticamente reduzida.

Para comparação, ficam aqui os valores sobre a capacidade máxima de cada tipo de material circulante.

UTE 2240: 264 passageiros
UQE 2300/2400: 650 passageiros
UQE 3500:1260 passageiros (equivalente a 4 UTE's 2240)




Nota 1: este blog não representa qualquer organização, empresa ou tendência ferroviária. É apenas e só um espaço de opinião.  
Nota 2: as fotos que ilustram este artigo estão identificadas com o nome do autor e quando aplicável, com a referência onde foram encontradas.

Sem comentários:

Publicar um comentário